Dúvidas sobre precificação de serviços? Nós te ajudamos com 3 técnicas eficientes para cobrar preços justos e aumentar seu faturamento

Toda vez que chega um novo cliente na sua agência, você se questiona se o seu método de precificação de serviços é o ideal? Tem dúvidas se está conseguindo realmente agregar valor às suas entregas?

Então saiba que você não é a única pessoa que passa por isso no mercado digital. Pelo contrário, esse é um dos maiores desafios enfrentados por donos de agência e freelancers que trabalham na área.

Por isso, preparamos este artigo para te apresentar três técnicas eficientes para precificar serviços e definir valores justos tanto para o desenvolvimento do seu negócio quanto para o seu cliente. Acompanhe!

Por que a precificação de serviços é tão desafiadora?

A precificação de serviços é um dos maiores desafios vivenciados por agências de marketing digital e freelancers. Isso porque, se feito apenas de maneira intuitiva e incorreta, esse processo pode gerar muitos prejuízos para o desenvolvimento do negócio.

Muitos gestores, então, têm dúvidas sobre quais fatores levar em consideração na hora de precificar seus serviços. Enquanto alguns focam nas horas trabalhadas, por exemplo, outros pensam mais nos custos gerados pela produção ou nos preços praticados no mercado.

Apesar de esses métodos estarem corretos, há ainda a necessidade de avaliar outros pontos relevantes, como a margem de lucro e o valor que deve ser gerado aos clientes por meio de cada entrega.

Juntamente a isso, deve-se entender também as necessidades específicas de cada negócio e os modelos que mais se adequam a elas. 

Pareceu complicado? Não se preocupe, nós contamos tudo o que você precisa saber sobre modelos de precificação e ainda selecionamos uma dica bônus no final para te ajudar a ter ainda mais sucesso na prática.

3 técnicas para fazer a precificação de serviços de marketing digital

A seguir, você confere quais são as três técnicas de precificação de serviços mais populares — por hora, fee e créditos — e em quais cenários elas podem ser aplicadas. Vamos lá?

1. Precificação por hora

A precificação de serviço por hora trabalhada é um dos métodos mais conhecidos e utilizados hoje no mercado. Como se baseia nas suas horas disponíveis para desenvolver o projeto, essa técnica ajuda a ter maior controle do preço ofertado. 

O modelo é um dos mais usados por freelancers e equipes menores, uma vez que fica mais fácil saber quanto tempo é gasto para entregar um serviço

No entanto, quando as agências ficam maiores e com mais colaboradores, por mais que os custos por hora ainda devam ser calculados, outras modalidades também costumam ser necessárias, como é o caso da precificação por fee

2. Precificação por fee

Já esse segundo método de precificação tem como objetivo a cobrança de uma taxa fixa mensal dos clientes. 

O fee é calculado a partir das horas trabalhadas de todos os envolvidos no projeto, como também de ferramentas usadas para desenvolver os serviços, equipamentos utilizados, depreciação, impostos, entre outros fatores.

Esse modelo também se caracteriza por ser um pouco mais complexo que os outros. Porém, após a definição da estrutura ideal, fica muito mais fácil saber quanto será cobrado por cliente e fazer a agência crescer a partir disso.

Outra vantagem da precificação por fee é que ela permite a combinação entre um valor fixo e um variável. Esse segundo pode ser, por exemplo, uma comissão por resultado alcançado ou por aumento de investimento em mídia.

Com isso, a agência tem a oportunidade de ganhar escala no projeto, sem a necessidade de ficar renovando contrato a todo momento.

3. Precificação por créditos

Este último modelo de precificação de serviços propõe o fechamento de um contrato com créditos que o cliente pode trocar por serviços ao longo do mês. Cada entrega, portanto, vale uma quantidade de créditos a ser debitada desse pacote. 

Por exemplo, digamos que o contratante compre 50 créditos por mês. Ele pode definir se deseja gastá-los com apenas com artigos de blog, que podem valer 4 ou 5 créditos, ou também com postagens de redes sociais, que podem valer entre 2 e 3 créditos.

Sendo assim, podemos perceber que se trata de uma mistura do cálculo da hora com o fee, e é ideal para clientes que precisam de maior flexibilidade na produção, focando mais na entrega do que necessariamente em resultados.

descubra como precificar seus serviços

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.